DDS, ou Diálogo Diário de Segurança, é uma medida preventiva adotada pelo empregador da empresa. Ou seja, a fim de evitar acidentes no ambiente de trabalho, ele realiza uma conversação de 5 a 15 minutos com seus funcionários, salientando os eventuais riscos de suas ocupações.

Como deve ser o DDS?
A conversação entre empregador e funcionários deve ser feita diariamente, antes do expediente e com um tempo entre cinco e 15 minutos. Nesse diálogo, tópicos como riscos que o ofício e o ambiente de trabalho podem ocasionar, ferramentas e EPI’s necessários durante o serviço e as medidas de segurança básica e coletiva que precisam ser adotadas devem ser abordados.

Dicas
E, para realizar um DDS com êxito, confira algumas orientações a seguir:

  • Como já explanado anteriormente, o DDS deve ocupar entre cinco e 15 minutos do tempo de ofício dos funcionários. Isso porque, longos discursos podem dispersar a atenção deles e atrasar o andamento dos trabalhos.
  • Por isso, trace um objetivo. Apresente o cenário de trabalho, os equipamentos de proteção coletiva e individual, além dos eventuais riscos que as atividades podem proporcionar. Com essas questões esclarecidas, torna-se mais fácil apontar as medidas cautelares e a função de cada funcionário.
  • Utilize-se de um vocabulário descomplicado. Termos técnicos ou palavras difíceis só dificultarão a compreensão da mensagem, portanto os evite.
  • Vale buscar casos reais para exemplificar a importância dos assuntos relatados durante o DDS.
  • Incentive a participação dos funcionários durante o DDS, abrindo espaço para dúvidas ou demais perguntas.

Benefícios
Além de reduzir o número de acidentes no ambiente de trabalho, e consequentemente os gastos com assistência médica, o DDS pode elevar o nível de segurança e de produtividade dos funcionários, satisfazendo-os também.

Para mais conteúdos sobre Saúde Ocupacional, continue acompanhando o portal da SOB – Saúde Ocupacional Brasil.

Por Lana Gillies