Instituído de acordo com o Decreto nº 8373/2014, o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, também conhecido como eSocial, veio para viabilizar,  simplificar e unificar o cumprimento das obrigações trabalhistas, previdenciárias e jurídicas das empresas perante o Governo brasileiro.

Ao utilizar o sistema online do eSocial, os empresários reduzem a burocracia da prestação de contas, uma vez que eliminam o preenchimento e a entrega de formulários e declarações feitas previamente no papel.

Iniciativa da ação conjunta da Secretaria da Receita Federal do Brasil, da Caixa Econômica Federal, do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, e do Ministério do Trabalho, a implantação do eSocial  está ocorrendo por etapas de acordo com o cronograma instituído.

Empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões tiveram que se adequar ao sistema a partir de 1º de janeiro de 2018. Já os demais empregadores e contribuintes, independente do faturamento anual, terão que aderir ao eSocial a partir de 1º de julho de 2018.

O prazo para adequação ao novo sistema já está em andamento, e quase chegando a sua fase final. Dessa vez, todos terão que incorporar o eSocial a rotina de suas empresas.

As mudanças estão aí para facilitar e melhorar os processos de trabalho e a documentação referente aos trabalhadores, vínculos trabalhistas, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e FGTS.

Com a aderência ao eSocial empresa e colaboradores só terão a ganhar, pois a simplificação do processo gera um aumento na produtividade, diminui a quantidade de erros de cálculo, garante mais segurança à medida que integra os processos e disponibiliza de forma imediata os dados aos órgãos envolvidos.

Para esclarecer mais dúvidas sobre o eSocial acesse o portal da plataforma e siga acompanhando nossas matérias no portal da SOB (Saúde Ocupacional Brasil).

Por Manoela Campos