Apesar de serem termos similares, e de ambos atuarem em benefício dos trabalhadores, medicina ocupacional e Saúde Ocupacional apresentam origens e significados diferentes.

Medicina ocupacional ou medicina do trabalho é uma especialidade que preza pela segurança e qualidade de vida dos trabalhadores.

Criada na Inglaterra no século XIX, sob o contexto da Revolução Industrial e da extrema exploração da mão de obra operária, a medicina ocupacional garantia que médicos atuassem no interior das fábricas, zelando pela saúde dos operários.

Já o conceito de Saúde Ocupacional, originado no período pós-guerra, surgiu como forma de expandir a tarefa da medicina ocupacional. Visto que, os recorrentes acidentes e mortes nas fábricas exigiam um olhar específico para ambiente de trabalho desses empregados.

Tendo como principal objetivo promover um espaço laboral mais seguro, a Saúde Ocupacional se dedica a aliar condições de trabalho adequadas (como higiene e proteção), com a saúde dos trabalhadores. Procurando prevenção e, em alguns casos, até mesmo extinção de todos os riscos de acidentes e eventuais perigos que possam ameaçar a integridade e o bem-estar dos colaboradores.

Por Manoela Campos