A fim de reduzir custos e tempo do âmbito contábil das empresas, além de facilitar o cumprimento das obrigações trabalhistas e prevenir eventuais fraudes, o Governo Federal instituiu em 2007, pelo Decreto nº 8373/2014, o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial).

Trata-se de um software que reúne informações tributárias, previdenciárias e trabalhistas a respeito dos funcionários da instituição, como a folha de pagamento, acidentes de trabalho, avisos prévios, escriturações fiscais, FGTS e outros.

Antes da implementação do eSocial, o departamento de Recursos Humanos tinha como função processar e enviar inúmeros documentos aos órgãos de fiscalização, como o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Ministério da Previdência Social (MPS), o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Receita Federal do Brasil (RFB) e a Caixa Econômica Federal (CEF).

Agora, através desse sistema, existirá uma racionalização desse processo. Apenas uma guia será gerada e os dados serão inseridos nele uma única vez – já que serão compartilhados virtualmente entre os consorciados. Além disso, a ferramenta online substituirá diversos documentos. Sendo eles a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), o Guia de Recolhimento do FGTS (GFIP), o Comunicado de Acidente de Trabalho, a Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF), o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) e a Comunicação do Seguro-Desemprego.

Portanto, para o RH, o eSocial à longo prazo resultará positivamente para o departamento. Primeiramente, quanto à eficiência e produtividade desse setor. Como o fechamento da folha de pagamento é uma atividade pesarosa, a partir do eSocial, as empresas poderão gerir as informações de maneira mais fácil e prática, investindo menos tempo nessa obrigação.

E em segundo, os funcionários da empresa sentirão mais segurança perante eventuais abusos trabalhistas, visto que, as empresas estarão sujeitas à uma auditoria constante pelas autoridades tributárias e laborais do país.

Para saber mais sobre eSocial, acompanhe o portal da SOB.

Por Lana Gillies