Dores osteoarticulares, fadiga e barriga saliente. Essas são algumas das inúmeras consequências provocadas pela má postura em longas jornadas de trabalho. Somada à falta de exercícios, temos como resultado outra doença crônica que afeta 85% da população no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde: a dor nas costas.

Para curá-las – ou evitá-las – não pense que apenas uma visita ao SPA será o suficiente. A solução está além das massagens e encontra-se na autoconsciência para com o próprio corpo. Portanto, para isso, pare e observe: como você se posiciona durante o trabalho, na cadeira giratória ou até mesmo no carro, enquanto dirige?

Saiba que, para dar início a um estilo de vida mais saudável, não é necessário tirar férias da firma ou inscrever-se em uma academia. Basta eliminar hábitos nocivos à sua coluna, feitos inconscientemente no ambiente de trabalho. Não sabe como começar? Confira a seguir nossas dicas e transforme os maus hábitos em atitudes para um melhor desempenho em seu emprego e de sua saúde:

Cadeira certa. Tão importante quanto o colchão em que dormimos, a cadeira em que sentamos deve ser ergonômica e de qualidade. Afinal passamos mais tempo nela do que na cama.

Com braços, regulagem, inclinação e cinco pés – de preferência com rodinhas – a cadeira ideal para quem trabalha entre seis e oito horas sentadas deve dispor dessas características citadas. Isso porque, dessa forma, ela pode ser adaptada de acordo com o biotipo de cada funcionário que a utiliza e propiciar conforto a qualquer um.

Como sentar. Quando se trata de postura correta, ela não se resume apenas à angulação da coluna quando sentamos. A forma como dispomos nossas mãos e braços ao teclado, além dos pés no chão e os olhos ao computador, também são fatores fundamentais.

Por isso, atente-se em como você dispõe cada parte do seu corpo enquanto trabalha sentado.

  • Costas. Para apoiar a região lombar, a cadeira necessita de um encosto reto com abertura para as nádegas. Ele deve estar sempre em contato com a região média da coluna, abaixo de sua rótula. Os ombros e o quadril devem estar alinhados, resultando em um ângulo de 90 graus. Para isso, posicione levemente os ombros para trás, para evitar a corcunda.
  • Pernas. As coxas devem estar apoiadas suavemente em todo o assento, com os pés completamente encostados no chão – ou em um descanso específico para eles. Já os joelhos devem estar abaixo do nível do quadril. Evite cruzar as pernas.
  • Braços. O descanso de braço deve estar na altura do cotovelo, formando novamente um ângulo de 90 graus. Posicione o teclado diretamente à sua frente e o mouse na mesma proximidade e altura. Apenas parte do braço deve recostar na mesa.
  • Olhos. O ideal é de que o monitor fique entre uma distancia de 45 e 60 centímetros do rosto. Para que se evite ao máximo abaixar a cabeça para ler ou digitar, suba a tela ao nível dos olhos. Se for necessário, utilize-se de um livro embaixo do computador.

Respiração. A respiração e a postura corporal são dois fatores intrinsecamente ligados. Isso porque, a capacidade de reter o ar nos pulmões e soltá-lo de maneira adequada depende da posição a qual nosso corpo se encontra e da maneira como movimentamos ele. Portanto, por ser um processo de reciprocidade, sente-se e respire – preferencialmente pelo nariz – adequadamente.

Intervalos. Ficar horas consecutivas em uma cadeira não é saudável para ninguém. Portanto, sempre que puder, realize pausas e levante-se por um momento. Aproveite para caminhar e, se possível, subir escadas ou movimentar-se. Além de fazer bem às suas costas, auxiliará no desempenho de seus rins e dos demais órgãos de seu corpo.

Gostou de nossas dicas? Tente aplicá-las durante sua semana e compartilhe-as com seus colegas de trabalho! Para mais dessas, continue acompanhando o portal da SOB (Saúde Ocupacional Brasil).

Por Lana Gillies